Novidades

Resposta térmica de atletas em corrida

01/09/2022 | Categoria: Artigos, Termografia

Estudo por: G Tanda.
Artigo disponível neste link.

A termografia tem uma ampla gama de contribuições para a medicina esportiva, possibilitando monitoramento em tempo real e não invasivo da temperatura cutânea, inclusive em corrida.

RESPOSTA TÉRMICA EM CORRIDA

Hoje trouxemos um estudo que utilizou a termografia para detectar a resposta da temperatura da pele em sete atletas ao longo da realização de dois diferentes exercícios de corrida em esteira, ambos com duração de 30 minutos, um com carga gradativa e outro com carga constante. Essa evolução térmica pode fornecer informações sobre a adaptação do atleta, intensidade e duração do exercício.

É importante ter em mente que a regulação térmica e hemodinâmica durante a atividade física é controlada por dois mecanismos conflitantes: vasocontriçao cutânea e vasodilatação cutânea.

E ainda, a termorregulação em humanos na corrida é regida por um balanço energético dinâmico, que envolve: condições ambientais e condições físicas de trabalho. Sendo a temperatura da pele a principal variável no controle das trocas de calor entre corpo e ambiente.

Nas imagens térmicas acima, é possível observar a evolução da resposta térmica de uma atleta à corrida em esteira indoor, com carga gradativa, com os seguintes resultados:

  • A temperatura da pele diminuiu à medida que o exercício avança, porém de maneira não uniforme, sendo menos acentuado sobre: panturrilha, pescoço e projeções cutâneas de fígado e baço;
  • Houve um rápido aumento de temperatura da pele durante a recuperação do exercício;
  • Manchas hipertérmicas surgiram em repouso.

RESULTADOS TÉRMICOS DA CORRIDA

Em geral, os resultados mostram:

  • Todos apresentaram queda na temperatura da pele durante o estágio inicial do exercício de corrida (provavelmente se relaciona à vasoconstrição cutânea)
  • Com o avanço da corrida, a resposta muda de acordo com o tipo de exercício e nível de treinamento do atleta, sendo que: No aumento contínuo da carga: há reduções adicionais na temperatura da pele; e na carga constante: há um mínimo relativo de temperatura da pele seguido por um pequeno aumento (provavelmente reflete a competição entre vasocontrição e vasodilatação)
  • Surgem manchas hipertémicas durante recuperação após o exercício (provavemente devido à vasodilatação periférica)
Com esse estudo, foi criada uma base para que estudos futuros com uma quantidade maior de atletas poderiam inferir uma estimativa indireta da eficiência física e/ou nível de treinamento dos atletas em corrida.

DIA DO EDUCADOR FÍSICO

Nós, da Poliscan, gostaríamos de aproveitar o post e parabenizar os educadores físicos pelo seu dia! Sua função é de extrema importância para explorar o potencial e aumentar a capacidade física de atletas e alunos. Contem sempre conosco!

Interessou-se por esse tema? Para conferir o artigo completo na íntegra, acesse aqui!

Veja também

09maio

Qual a relação da temperatura com a vibração molecular?

O vídeo educativo (link disponível abaixo) mostra a relação temperatura com a vibração molecular conforme o movimento aumenta a temperatura também […]

Leia +
21ago

Termografia e ultrassonografia

Estudo por B.P.A. Fonseca, A.L.G. Alves, J.L.M. Nicoletti, A. Thomassian, C.A. Hussni, S. Mikail, Artigo disponível neste link. Você sabia que […]

Leia +
15fev

Cafeína, gordura marrom e termografia

Estudo por Diego Ignacio Valenzuela Pérez, Dany Alexis Sobarzo Soto, Julieta Montañez Barroso, Diego Alves dos Santos, Andreia Cristiane Carrenho Queiroz, […]

Leia +